Notícias

7 de julho de 2015 - 10:15

Caminhoneiros podem refinanciar dívidas

Autorização prevista em Lei ainda precisava de regulamentação

Caminhoneiros podem refinanciar dívidas

Brasília, 7 de julho de 2015 – A partir desta semana, caminhoneiros de todo o país podem efetivar os refinanciamentos previstos após a sanção da Medida Provisória (MP) 661, convertida na Lei nº 13.126/2015, que autorizou o BNDES a renegociar os contratos do Programa Procaminhoneiro.

Acompanhando as reivindicações da classe, o deputado federal Valdir Colatto (PMDB-SC) esteve em contato com representantes do Ministério da Fazenda e do BNDES na busca por informações. “O Ministério da Fazenda precisava emitir uma portaria de equalização estabelecendo diretrizes para os refinanciamentos. Somente após a publicação desta portaria, o BNDES pôde enviar uma circular explicando aos bancos quais as condições que devem ser adotadas”, informou o deputado Colatto.

A circular do BNDES nº 26/2015 foi publicada na última sexta-feira (03/06) e explica como os bancos devem proceder em relação a abrangência, beneficiários finais e condições do refinanciamento.

Entenda: dentre as reivindicações que pautaram a paralisação nacional dos caminhoneiros, ocorrida em fevereiro, estava a necessidade de ações que mantivessem a viabilidade financeira da atividade. “Os caminhoneiros não estão conseguindo pagar as dívidas dos financiamentos de seus caminhões pois os custos de frete, manutenção e combustível, por exemplo, são altos demais. Possibilitar esse refinanciamento significa tirar a corda do pescoço de muitos desses brasileiros que transportam as nossas riquezas”, explicou Colatto.

Documento: Circular BNDES nº 26/2015

Rádio Colatto

Auxílio para os Hospitais Filantrópicos de Santa Catarina

Rádio Colatto Online
Horário de Verão
Modernização Trabalhista
AGRO é pop
Esclarecimentos sobre o Projeto de Lei de Política Nacional de Fauna  - (PL 6268/2016)
Medidas Contra a Corrupção
Lei 13.288/2016
PEC 215
Informativo
Cartilha Nova Lei dos Motoristas
Código Florestal Brasileiro